[bula] Doxiven100mg Comprimidos

VENCO SAÚDE ANIMAL 

Caninos

Fórmula:

COMPOSIÇÃO

Cada comprimido de 250 mg contém:
Doxiciclina Hiclato - 113 mg*
Excipiente q.s.p. - 250 mg
*Equivalente a 100 mg de doxiciclina base.

INDICAÇÕES

Doxiven 100 mg é um antibiótico a base de doxiciclina indicado para infecções em cães causadas por: Staphylococcus aureus, Pasteurella multocida, Pasteurella haemolytica, Bordetella bronchiseptica, Escherichia coli, Shiguella flexneri, Ehrlichia canis (fase aguda).


FARMACODINÂMICA
Doxiven 100 mg é um produto a base de doxiciclina, um antibiótico bacteriostático da classe das tetraciclinas. Estes antibióticos ligam-se a subunidade 30S do ribossoma do micro-organismo, impedindo que o RNA-transportador (RNAt) se fixe ao ribossoma e, com isto, a síntese proteica é inibida.

FARMACOCINÉTICA
Estudos clínicos realizados mostram que o produto DOXIVEN 100 mg, após administração oral de 5 mg/Kg, atinge picos plasmáticos após 2 a 3 horas da administração.
Dosagem:

POSOLOGIA
Dose de 5,0 mg/Kg, ou seja, 1 comprimido para cada 20 Kg, a cada 12 horas, durante 7 dias consecutivos ou a critério do Médico Veterinário.
Para o tratamento de Erliquiose canina recomenda-se 5,0 mg/Kg, ou seja, 1 comprimido para cada 20 Kg, a cada 12 horas, por 21 dias consecutivos.
Administração:

POSOLOGIA
Dose de 5,0 mg/Kg, ou seja, 1 comprimido para cada 20 Kg, a cada 12 horas, durante 7 dias consecutivos ou a critério do Médico Veterinário.
Para o tratamento de Erliquiose canina recomenda-se 5,0 mg/Kg, ou seja, 1 comprimido para cada 20 Kg, a cada 12 horas, por 21 dias consecutivos.
Precauções:

SEGURANÇA
Hepático: estudos de segurança em cães recebendo a dose de 5, 7,5 e 10mg/Kg, cada 12 horas, durante 21 dias, de DOXIVEN 100 mg não mostrou alterações com significância estatística em enzimas hepáticas (ALT – alanina amino-transferase e FA – fosfatase alcalina).
Renal: estudos de segurança em cães recebendo a dose de 5, 7,5 e 10mg/Kg, cada 12 horas, durante 21 dias, de DOXIVEN 100 mg não mostrou alterações com significância estatística na função renal, quando monitoradas ureia e creatinina.

REAÇÕES ADVERSAS
A maioria das reações adversas é ligada ao sistema gastrintestinal (causadas por irritação direta), porém, na maioria das vezes, de natureza transitória que regride com a suspensão do tratamento ou com a instituição de terapia de apoio. Dentre as reações observadas, inclui-se: vômito, náusea, fezes amolecidas e hiporexia. Na ocorrência de diarreia, a possibilidade de alteração da flora intestinal sempre deve ser levada em consideração.
Gastrointestinais: apatia, anorexia, hiporexia e diarreia.
Hematológicas: Anemia hemolítica, leucocitose e leucopenia.
A terapia com doxiciclina pode causar superinfecções de bactérias resistentes ou fungos.

CONTRAINDICAÇÕES
Drogas da classe das tetraciclinas quelam cálcio e são depositadas nos ossos e nos dentes em crescimento, causando manchas e, às vezes, hipoplasia dentária e deformidades ósseas; dessa forma, Doxiven 100 mg é contraindicada para cães com menos de 6 meses de vida e cadelas gestantes e em amamentação.
Doxiven 100 mg é contraindicada em cães com hipersensibilidade conhecida aos componentes da fórmula. A doxiciclina pode retardar o desenvolvimento do esqueleto do feto e descoloração dos dentes (Plumb, 1999) (Martindale).

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS
Antiácidos orais (Plumb, 1999) (Martindale): quando administrados oralmente, a doxiciclina pode quelar cátions divalentes ou trivalentes, o que pode reduzir a absorção da tetraciclina ou da outra droga que contém esses cátions. Antiácidos orais ou outros produtos contendo cátions de alumínio, cálcio, magnésio, zinco ou bismuto são mais comumente associados com essa interação.
Ferro oral: produtos contendo ferro oral são associados a um decréscimo da absorção de tetraciclinas.
Penicilinas, cefalosporinas e aminoglicosídeos: drogas bacteriostáticas, como as tetraciclinas, podem interferir com a atividade bactericida das penicilinas, cefalosporinas e aminoglicosídeos.
Fenobarbital (Martindale) (Plumb, 1999): pode reduzir a meia vida da doxiciclina e reduzir seus níveis plasmáticos.
Anticoagulantes: a doxiciclina pode reduzir a atividade plasmática da protrombina em pacientes em uso de anticoagulantes (exemplo: varfarina). Nesses pacientes pode ser necessário ajuste de dose.

OVERDOSE TRATAMENTO
Overdoses orais geralmente estão associadas com distúrbios gastrointestinais (vômito, anorexia e/ou diarreia). Se o paciente desenvolver diarreia ou vômito severo1,2, recomenda-se fluidoterapia, monitoramento e reposição de eletrólitos quando necessário.1 Antiácidos podem ser usados no tratamento da irritação gástrica.

PRECAUÇÕES
Obedecer as dosagens indicadas para o uso do produto. Somente o médico veterinário está apto a fazer alterações nas dosagens indicadas. Não administrar o produto com prazo de validade vencido. Armazenar e manter o medicamento em local seco, fresco e ao abrigo da luz. Manter o produto longe de crianças e animais domésticos. Seguir corretamente as indicações e instruções para o uso.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO DO MÉDICO VETERINÁRIO.
Apresentação:

APRESENTAÇÃO
Blíster contendo 7 ou 10 comprimidos cada, acondicionados em cartuchos contendo 1, 2, 3 ou 15 blisters.
Classe Terapêutica:
ANTIMICROBIANOS GERAIS; ANTIFÚNGICOS E ANTIPROTOZOÁRIOS (COCCIDIOS, FLAGELADOS)

Princípio(s) Ativo(s):
DOXICILINA

Registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento:
9671/2012

Responsável Técnico:
Dr. Jorge Chiromatzo Júnior - CRMV: 1.850

Serviço de Atendimento ao Consumidor:
0800 437997
Página inicial

Bulário Vet