[bula] COURO LIMPO POUR ON NOXON DO BRASIL QUIM FARM LTDA

Bovino

Fórmula:
Cada 100 mL contém:
Cipermetrina................................6,0 g
Clorpirifós...................................7,0 g
Citronelal...................................0,50 g
Veículo (q.s.p.)........................100,0 mL

Indicações:
COURO LIMPO POUR ON é indicado para uso Pour On em Bovinos no combate dos carrapatos (do gênero Boophilus microplus)bernes (larvas de Dermatobia hominis), mosca do chifre (Haematobia irritans) e é repelente.

Dosagem:
COURO LIMPO POUR ON é administrado via Pour on, com aplicações na linha dorsal dos bovinos (fio do lombo) da região da cruz até a inserção da cauda, na dosagem de 10 mL para cada 100Kg de peso vivo.
A aplicação é feita com o próprio frasco do produto que já vem devidamente graduado. A dosagem recomendada é de 10 mL para cada 100 Kg de peso corporal, obedecendo a tabela abaixo:

PESO (Kg)          DOSE (mL)

   100 10

   200 20

   300 30

   400 40

   500 50

Administração:
COURO LIMPO POUR ON é administrado via Pour on, com aplicações na linha dorsal dos bovinos (fio do lombo) da região da cruz até a inserção da cauda.

Precauções:
•Evitar aplicar o produto em dias chuvosos ou nas horas de maior insolação.
•Não aplicar o produto sobre a pelagem ou pele úmida ou quando estas estiverem cobertas de lama ou fezes ressecadas.
•Não guardar ou aplicar o produto junto de alimentos, bebidas, medicamentos, produtos de higiene ou domésticos.
•Produto tóxico para peixes e crustáceos.
•Não fumar, comer ou beber quando estiver trabalhando com o produto.
•Não misturar com óleos e outros pesticidas.
•Após o trabalho com o produto, utilizando-se sempre de equipamentos de proteção individual, tais como luva, lavar bem as mãos e a parte exposta do corpo.
•Não contaminar rios e outros cursos de água.
•Se o produto atingir os olhos lavar com bastante água.
•Conservar em local seco e fresco, ao abrigo da luz solar, fora do alcance de crianças e animais domésticos.


Contraindicações:
•Não aplicar em animais exaustos, estressados, debilitados ou doentes.
•Não aplicar nas horas mais quentes do dia.
•Não aplicar em animais recém manejados.
•Não aplicar em recém nascidos e animais com menos de 3 meses de idade.
•Não aplicar em animais convalescentes.

Reações Adversas:
Os piretróides possuem potente atividade inseticida com baixa toxicidade em mamíferos, geralmente são seguros, mas podem causar alergia, náusea, vômito e cefaleia.
Os organofosforados podem ocasionar efeitos adversos como salivação, lacrimejamento, micção, dispneia, ataxia e convulsões (em casos de má administração de doses ou intoxicações acidentais).

Interações Medicamentosas:
Inibidores da oxidase de função mista (ex. butóxido de piperonila) suprem a hidrólise de piretrinas e piretróides, potencializando sua atividade.
Fármacos que ativam os receptores colinérgicos e relaxantes musculares periféricos devem ser evitados quando se fizer uso de organofosforados.
Os tranquilizantes fenotiazinicos aumentam a toxicidade dos organofosforados
A succinilcolina e outros agentes bloqueadores neuromusculares podem potencializar os efeitos nicotínicos dos organofosforados.

Intoxicação e super dosagem nos animais
Sintomas:
Defecação, micção frequente, vômito, lacrimejamento dos olhos, salivação, diarreia, fraqueza muscular, contração muscular e convulsões.
Tóxico para peixes e crustáceos.
Chamar o médico veterinário.
No caso de intoxicação fazer tratamento sintomático.
Tratamento: Atropina-Dose de 0,2 a 0,5 mg/Kg e ¼ administrado por via IV e o restante por via IM ou SC. É necessário repetir a dose em intervalos de três a seis horas, durante 1 ou mais dias.

Intoxicação no homem:
Se ocorrer intoxicação acidental, proceder da seguinte maneira:
•Retirar as roupas contaminadas e lavar as partes atingidas do corpo, com água e sabão.
•Não ingerir substâncias gordurosas ou leite, em caso de ingestão acidental do produto. Chamar o médico.
Tratamento sintomático, com o emprego de barbitúricos nos casos de hiperexcitação ou convulsões, e assistência apropriada às condições respiratórias.
O emprego de eméticos, medidas provocadoras de vômitos e a lavagem gástrica são as medidas que devem ser tomadas de imediato.
O emprego de anti-histamínicos é sempre aconselhável.
Sulfato de atropina na dose de 0,5 mg por via IV, ou na dose de 1,0 mg por via IM.
Em caso de intoxicação aguda repetir as injeções de sulfato de atropina à razão de 0,5 mg (IV), a cada 10 minutos até desaparecer os sintomas ou atropinização do indivíduo.
Também pode ser usado metiodeto de 2-piridina aldoxima.

ATENÇÃO: OBEDECER AOS SEGUINTES PERÍODOS DE CARÊNCIA
BOVINOS
ABATE: O ABATE DOS ANIMAIS TRATADOS SOMENTE DEVE SER REALIZADO 06 DIAS APÓS A ÚLTIMA APLICAÇÃO.
LEITE: O LEITE DOS ANIMAIS TRATADOS SOMENTE DEVE SER DESTINADO AO CONSUMO HUMANO 02 DIAS APÓS A ÚLTIMA APLICAÇÃO. NESTE PERÍODO, O LEITE DEVE SER DESCARTADO.

A UTILIZAÇÃO DO PRODUTO EM CONDIÇÕES DIFERENTES DAS INDICADAS NESTA BULA PODE CAUSAR A PRESENÇA DE RESÍDUOS ACIMA DOS LIMITES APROVADOS, TORNANDO O ALIMENTO DE ORIGEM ANIMAL IMPRÓPRIO PARA O CONSUMO.
Apresentação:
Frasco plástico dosador contendo 1000 mL.

Classe Terapêutica:
ECTOPARASITICIDAS (ANTI-PARASITÁRIOS)

Princípio(s) Ativo(s):
CIPERMETRINA
CITRONELA
CLORPIRIFÓS

Registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento:
9.693/2012

Responsável Técnico:
Roberto Popolim - CRMV: 40.577

Serviço de Atendimento ao Consumidor:
16 39519810
Página inicial

Bulário Vet