[bula] IMICARB EUROFARMA LABORATÓRIOS LTDA

Bovino  Eqüinos

Fórmula:
Cada 100 mL contém:
Imidocarb (dipropionato) .......................12,0g
Veículo...........q.s.p......................... 100,0 mL

Indicações:
Imicarb é recomendado no tratamento profilático e curativo da babesiose causada por Babesia spp. em bovinos e eqüínos e da anaplasmose em bovinos causada por Anaplasma marginale.
Essas doenças são produzidas por hemoparasitos que por sua vez são transmitidos por carrapatos e insetos, bem como mecanicamente, através de injeções, descorna, castração, etc.
Imicarb também é indicado no controle das reações clínicas provocadas pela indução sangüínea de Babesia e Anaplasma nos processos de premunição.

Dosagem:
Em bovinos, por via subcutânea:
No tratamento da babesiose confirmada por exame laboratorial, administrar 1 mL para cada 100 Kg de peso corporal, ou seja, 1,2 mg de principio ativo/Kg de peso.
No tratamento da anaplasmose e das infecções mistas (por Anaplasma + Babesia), administrar 1 mL para cada 40 Kg de peso corporal, ou seja, 3,0 mg de principio ativo/Kg de peso.

Na premunição:
Como a babesiose tem período de incubação mais curto, seus sintomas são os primeiros a aparecer.
A dose recomendada para controle da babesiose é de 1 mL para cada 100 Kg de peso, ou seja, 1,2 mg de princípio ativo/ Kg de peso corporal.
Algumas semanas depois poderão aparecer sintomas da anaplasmose. Caso o quadro clínico seja severo, poderá ser usada uma dose 2,5 vezes maior que a recomendada inicialmente para babesiose.

Importante:
Nunca repetir o tratamento antes de transcorridos 7 dias da última administração.

Na quimioprofilaxia:
Imicarb pode ser utilizado nas seguintes situações:
1. Quando são colocados animais suscetíveis em áreas de incidência de babesiose: administrar o produto no momento da transferência ou nos primeiros 5 dias, na dose de 1 mL para cada 100 Kg de peso, ou seja, 1,2 mg de princípio ativo/Kg de peso corporal.
2. Quando são colocados animais suscetíveis em áreas de incidência de anaplasmose: administrar o produto aos primeiros sinais de sintomatologia clínica da doença, na dose de 1 mL para cada 40 Kg de peso corporal, ou seja, 3,0 mg de princípio ativo/Kg de peso.
Considerando que o período de incubação da anaplasmose é mais prolongado, não se deve tratar antes do aparecimento da doença, pois isso impedirá o desenvolvimento da imunidade após a infestação pelos carrapatos.
3. Quando da ocorrência de infecções mistas ou de agente causal desconhecido, o esquema proposto no item 1 também poderá ser obedecido. Dessa forma, o animal estará protegido da babesiose, mas talvez não estará protegido contra a anaplasmose. Para isso poderá ser necessário um segundo tratamento a ser feito somente quando forem observados sintomas clínicos da doença.

Observação:
Quando o produto é utilizado nas condições acima descritas, sua administração isoladamente não confere imunidade. Esta dependerá sempre da exposição do animal aos agentes causais Babesia e Anaplasma.
Considerando ser o carrapato o principal vetor dos agentes causais mencionados, não é recomendado o tratamento carrapaticida nos animais medicados com o produto, de modo a permitir uma alta infestação.

Em eqüínos, por via intramuscular:
Em casos de babesiose, administrar 1 mL para cada 50 Kg de peso corporal, ou seja, 2,4 mg de princípio ativo/Kg de peso. Essa dose, quando usada como profilática, protegerá os animais por cerca de 4 semanas.
Quando o agente causal for Nuttallia equi, poderá ser necessária uma segunda dose 24 horas após a primeira.

Administração:
Bovinos, por via subcutânea
Eqüínos, pro via intramuscular

Precauções:
Contra-indicações:
Não tratar vacas produzindo leite para consumo humano.
Não usar em eqüínos quando destinado ao consumo humano.

Precauções:
Animais tratados poderão eventualmente apresentar sintomas colinérgicos leves (salivação, lacrimejamento, cólica passageira) após a administração do produto. Nesses casos recomenda-se aplicação de sulfato de atropina.
Respeitar a dosagem recomendada, sem excedê-la.
Não aplicar a vacina sangüínea contra a anaplasmose e a babesiose no prazo de até 28 dias após a administração do produto, pois haverá interferência na imunidade contra a babesiose.

Interações medicamentosas:
Quando utilizar Imicarb, não aplicar simultaneamente inseticidas ou anti-helmínticos organofosforados.

Intoxicação e superdosagem nos animais:
Em casos de intoxicação os sintomas são do tipo colinérgico, ou seja, salivação, lacrimejamento, cólica passageira. Nesses casos recomenda-se aplicação de sulfato de atropina.

Período de carência e restrição de uso:
Não abater para consumo humano os bovinos tratados com o produto, antes de decorridos 28 dias da última administração. Não abater para consumo humano, eqüínos tratados com o produto.

Venda sob prescrição e aplicação sob orientação do Médico Veterinário.

Produtos veterinários devem ser mantidos fora do alcance de crianças e animais domésticos e não devem ser armazenados junto de alimentos, bebidas e produtos de higiene pessoal.

Conservar em local seco e fresco (entre 2oC e 25oC), ao abrigo de luz solar direta.
Sempre que possível, armazenar em refrigerador.

Apresentação:
Frasco contendo 15 mL

Classe Terapêutica:
OUTROS

Princípio(s) Ativo(s):
IMIDOCARB

Registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento:
8205/02

Responsável Técnico:
Jairo de Almeida Utimi - CRMV: CRF-SP 20.500

Serviço de Atendimento ao Consumidor:
0800 7091999
Página inicial

Bulário Vet