[BULA] ACEPRAN 0,2%


VETNIL INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE PRODUTOS VETERINÁRIOS LTDA

Fórmula:


Cada mL contém: 
Acepromazina........2,0 mg
Veículo q.s.p..........1,0 mL


Indicações: 

Acepran 0,2% é indicado para cães e gatos como sedativo e tranquilizantes para facilitar procedimentos diagnósticos, contenção para exames e radiografias, tratamento de feridas e abscessos, sondagem uretral, procedimentos cirúrgicos menores e nos casos onde se deseja obter um efeito tranquilizante e de indiferença aos estímulos excitantes do meio. Acepran 0,2% é especialmente indicado para transportes de animais, pois promove tranquilização, sonolência e também atividade antiemética. Particularmente indicado como agente pré-anestésico, tanto por seu efeito tranquilizante, quanto pela potencialização de agentes anestésicos barbitúricos, não barbitúricos e dissociativos.


Dosagem:

Para ser utilizado por via intravenosa, intramuscular ou subcutânea. A dose deve ser estabelecida individualmente, dependendo do grau de tranquilização requerido. Cães e gatos: Administrar 0,05 a 0,2 mg/kg de peso corporal, ou seja,0,025 a 0,1 mL por kg de peso corporal, dependendo da profundidade e duração da sedação requerida.A administração por via intravenosa deve ser feita lentamente e um período de 10 minutos deve ser aguardado até o aparecimento dos efeitos da droga.


Para cães de grande porte (acima de 30 kg): recomendamos utilizar o intervalo menor de dose.

Caso seja necessária uma complementação da dose, esta deverá ser realizada sob supervisão do Médico Veterinário.

As dosagens poderão ser alteradas de acordo com a orientação do Médico Veterinário.


Administração: 

Uso injetável.


Precauções:

Tranquilizantes são potentes depressores do sistema nervoso central e podem causar uma acentuada sedação, com supressão do sistema nervoso simpático. 

Tranquilizantes podem induzir prolongada depressão ou impossibilidade de locomoção quando aplicados em dosagens excessivas ou em animais sensíveis. 

Tranquilizantes são aditivos na ação, para o emprego de outros depressivos e irão potencializar a anestesia geral. Devem ser administrados em pequenas doses e com grande atenção durante a anestesia geral e também em animais exibindo sintomas de stress, debilidade, doenças cardíacas, hipovolemia ou choque. A acepromazina, assim como outros fenotiazínicos, é detoxificada no fígado, portanto deve ser empregada com cautela em animais com disfunção hepática ou leucopenia. Hipotensão pode ocorrer após rápida injeção intravenosa, causando colapso cardio-vascular. Animais braquicefálicos (em especial cães da raça boxer) podem apresentar síncope ou choque após administração de fenotiazínicos, devido à elevação do tônus vagal e consequente severa bradicardia. Nestes casos, somente se aconselha o uso de fenotiazínicos nestas raças em baixas dosagens ou associados à atropina. Eventualmente, podem ocorrer reações idiossincráticas a acepromazina em alguns animais, caracterizadas por excitação paradoxal e desordens comportamentais adversas.

Os reflexos protetores, tais como laríngeos, faríngeos e oculopalpebrais mantêm-se presentes durante o uso dos derivados fenotiazínicos.Sendo assim, nos casos em que pretende-se realizar anestesias inalatórias,recomenda-se utilizar drogas para facilitar a intubação endotraqueal. 

Contraindicações: 

Derivados da fenotiazina podem potencializar a toxicidade de organofosforados a atividade da procaína. Desta maneira, não utilize ACEPRAN 0,2% para controlar tremores associados a envenenamentos por fosforados. Não utilize associado ao cloridrato de procaína.

Apresentação:

Frascos ampolas contendo 20 mL.

Classe Terapêutica:


ANESTÉSICOS, SEDATIVOS E SIMILARES
Princípio(s) Ativo(s):ACEPROMAZINA

Registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento:

1.029 em 21/12/79

Responsável Técnico:

Fábio Cavenaghi Mattei - CRMV: CRMV: SP 12005

Serviço de Atendimento ao Consumidor:
0800109197